quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Plantas Ornamentais Nativas da Mata Atlântica



[A44manaca2.jpg]




MANACÁ DA SERRA
Tibouchina mutabilis

O manacá-da-serra é uma árvore semi-decídua nativa da mata atlântica,
que se popularizou rapidamente no paisagismo devido
ao seu florescimento espetacular.

Seu porte é baixo a médio, atingindo de 6 a 12 m de altura e
cerca de 25 cm de diâmetro de tronco.

As folhas são lanceoladas, pilosas, verde-escuras e
com nervuras longitudinais paralelas.

As flores apresentam-se solitárias e são grandes, vistosas e duráveis.

Elas desabrocham com a cor branca e gradativamente vão tornando-se violáceas, passando pelo rosa.

Esta particularidade faz com que na mesma planta sejam observadas
flores de três cores.
A floração ocorre no verão e a frutificação no outono.

O manacá-da-serra é uma excelente opção para o paisagismo urbano,
pois não apresenta raízes agressivas, permitindo seu plantio em diversos espaços, desde isolado em calçadas, até em pequenos bosques em grandes parques públicos.


Seu crescimento é rápido e além da árvore, encontra-se disponível no mercado uma variedade anã, o manacá-da-serra-anão.
Esta variedade, conhecida como 'Nana', alcança de 2 a 3 m de altura e é mais precoce, iniciando a floração com menos de meio metro.
Com seu porte arbustivo, ela é apropriada para o uso isolado
ou em grupos e renques.
Sua floração ocorre no inverno, ao contrário da forma arbórea típica.
Também pode ser conduzida em vasos.

O manacá deve ser cultivado sob sol pleno.



[MUSSAENDA+ROSA.jpg]


[MUSSAENDA.jpg]


MUSSAENDA

Mussaenda Alicia

Arbusto vigoroso do tipo semi-lenhoso e de aparência compacta.
Pouco tolerante ao frio, é uma planta indicada para regiões tropicais.
Produz muitas inflorescências,
com flores pequenas, discretas e amarelas e sépalas grandes de cor rósea e salmão.

Pode ser cultivada em vasos, isolada ou em grupos no jardim.
Seu porte pode atingir 2 a 3 metros.

Deve ser cultivada a pleno sol.


[P1010017.JPG]

[estrelicia.jpg]

ESTRELÍTIZIA


Planta exótica, tropical e perene que pode atingir 1 m de altura.
As folhas são verdes, brilhantes, coriáceas e em forma de pás.

As flores fazem lembrar a cabeça de uma ave conhecida como ave do paraíso, devido à sua forma única e coloração azul e laranja sendo por isso esta,
uma das possíveis designações desta planta.


[azul+1.jpg]

AZULZINHA

Evolvulos glometarus

Herbácea perene, semi-prostrada, de 20-30cm de altura,
de folhagem aveludada.

Originária do Brasil,pode ser utilizada como planta pendente em vasos ou em jardineiras.
No entanto é mais usada como forração a pleno sol ou meia-sombra, em canteiros ricos em matéria orgânica e bem drenados.
Não tolera temperaturas muito baixas.

[ixora_coccinea.jpg]

[ixora.jpg]
EXORA
Ixora coccinea

Arbusto lenhoso de pouca ramificação e florescimento intenso.
Desenvolve-se à pleno sol ou meia-sombra e prefere clima quente e úmido.
As flores são alaranjadas, amarelas ou rosas e atraem muitos pássaros e borboletas.
Pode ser cultivada em grupos ou renques.
Propagação: Por estaquia de galhos.
Porte: Até 2 metros de altura



[heliconias.bmp]
HELICÔNIAS
Plantas tropicais e exóticas constituem uma das maiores
riquezas da nossa flora.
Exuberantes, coloridas, com formas inusitadas, elas são apreciadas no mercado internacional também por sua durabilidade e pela capacidade de, mesmo sozinhas, gerar composições surpreendentes.
Um bom exemplo deste tipo de planta são as helicônias, cujo mercado tem se tornado cada vez mais convidativo. Vale a pena conhecer os aspectos técnicos do seu cultivo.

As helicônias são plantas de origem neotropical, mais precisamente da região noroeste da América do Sul.
O gênero Helicônia é ainda muito pouco estudado e ainda é incerto o número de espécies existentes, ficando na faixa compreendida entre 150 a 250 espécies.
Seis espécies ocorrem nas Ilhas do Sul do Pacífico, Samoa e Indonésia.
As demais estão distribuídas na América Tropical desde o sul do México até o norte de Santa Catarina, região sul do Brasil.
As helicônias, conforme a espécie, ocorrem em altitudes que variam de 0 a 2.000m, embora poucas sejam aquelas restritas às regiões mais altas.
Ocorrem predominantemente nas bordas das florestas e matas ciliares e nas clareiras ocupadas por vegetação pioneira.
Desenvolvem-se em locais sombreados ou a pleno sol, de úmidos a levemente secos e em solos argilo-arenosos.

Aqui no Brasil, cerca de 40 espécies ocorrem naturalmente em nosso país e são conhecidas por vários nomes, conforme a região: bananeira-de-jardim, bananeirinha-de-jardim, bico-de-guará, falsa-ave-do-paraíso e paquevira, entre outros.

As helicônias são utilizadas como plantas de jardim ou flores de corte.

2 comentários:

Arquivo do blog

Seguidores